⁠Passeia o teu olhar pelos meus recantos… E se a… Sandro Paschoal Nogueira

⁠Passeia o teu olhar pelos meus recantos…
E se assim o desejas…
Dou-te a alma inteira…

Tudo fiz para ti…
E ingrato fostes…
Pagando-me com a ingratidão…
Sem fim…

Que importa?
Ninguém sabe…
Nem tu mesmo o sentes…

Entreguei-me em tuas mãos o que escondo dentro…
E foste indiferente…
Nada sentistes…
E ainda nada sentes…

Procuro-te por dentro da noite…
Ponho-me no silêncio nas horas duvidosas…
Morto é o contentamento…
O engasgo tão grande…
Que aperta-me o coração…

Não sei se fiz mal, se bem….
Mas fiz…
O dia e a noite são iguais por dentro…
E sigo com a ilusão…
Alimentando esse redemoinho de estranha situação…

Peço-te em pensamentos…
Não me atrevo a dizer-te…
Não me esqueças…

Embora ouça o eco do amor há muito soterrado…
Mas o que tem de acontecer que aconteça…
Triste escolha…
Triste fado…

Sandro Paschoal Nogueira

LikedLiked