A Psicologia aliada ao tratamento oncológico para o enfrentamento da doença

Keli ressalta que é preciso ter em mente que os acompanhamentos psicológicos devem ser encarados de forma singular, visto que cada paciente lida com o câncer de uma forma. Receber o diagnóstico de câncer, seja de qualquer tipo, é um baque gigantesco para paciente e familiares. O tratamento pode ser longo, e exigir uma boa saúde mental para o enfretamento da doença. Keli Virginia Ebert, psicóloga, psicanalista e psico-oncologista [CRP: 18/01100] da Clínica Oncocenter, em Cuiabá, realiza o processo de escuta e acolhimento de pacientes, para que eles possam enfrentar a batalha com menos dificuldades e sofrimento.
Oncocenter oferece acompanhamento psicológico aos pacientes
Assessoria
“Um serviço de oncologia é um local onde nos deparamos com pessoas que sofrem por constatar que adoeceram. O adoecimento é uma experiência que vai impor algum limite, que é normalmente um motivo de angústia, porque traz consigo estigmas e fantasias de inúmeras ordens. A oferta do tratamento psicológico está aí justamente para acolher esses que sofrem diante dessa experiência que põe limites que nunca foram e nunca serão desejados na vida de uma pessoa”, diz a especialista.
Embora o diagnóstico de câncer possa transparecer devastador em todos os cenários, Keli afirma que não são todos os pacientes que entram num sofrimento psíquico. Disse, ainda, que cada caso é uma singularidade.
“Claro, há dificuldades para todos. Mas, é importante determinar. Normalmente, os familiares ou quem está acompanhando tem essa preocupação se está deprimido (o paciente) ou não. E é importante estar atento, porém, é no 1 a 1. Tem pacientes que vão sofrer mais e outros que não vão sofrer tanto. A gente precisa pensar em como cada um consegue acomodar esse acontecimento diante da vida”, explica a profissional da Oncocenter.
Keli Virginia Ebert, psicóloga, psicanalista e psico-oncologista.
Arquivo pessoal
Acompanhamento singular
Keli enfatiza que o paciente que recebe um determinado diagnóstico, e que tem um bom prognóstico, pode sofrer mais do que um que não tenha um prognóstico tão bom.
“É importante refletir sobre isso, pois tem a ver com as condições de cada um, e que não um está certo e o outro errado, tratando-se de questões psíquicas. O que há é aquilo que está bom, e aquilo que gera sofrimento”, pontua a especialista.
Caso gere angústia e tristeza, conforme a profissional, é o caso de procurar ajuda especializada, e buscar o processo de acompanhamento.
Tratamento na Oncocenter
Na Oncocenter, há um processo de triagem para receber os pacientes, segundo explica Keli. Primeiro, o paciente que recebe o diagnóstico de câncer passa pelo médico oncologista, que o encaminha para o serviço de psicologia, e demais serviços que ele julgar necessário.
O paciente é atendido nessa primeira consulta da psicologia. A partir daí, é estabelecido junto com o paciente se haverá segmento ou não com o tratamento psicológico, pois muitas vezes o paciente não está no momento dele, segundo a especialista.
“Se tratando de questões relacionados com ao psiquismo, é preciso uma atividade do paciente. Que ele produza aquele trabalho, possa falar, se sentir à vontade e criar um vínculo com o profissional que está ali atendendo-o. E assim se sentir à vontade para poder trazer as questões que, no momento, trazem mal estar, desconforto e incômodo para ele”, esclarece.
Oncocenter
Referência no tratamento de câncer no estado, a Oncocenter está localizada na Avenida Mato Grosso, coração de Cuiabá, em uma clínica de mais de 900 metros quadrados e com amplo estacionamento próprio.
Em nossa estrutura, oferecemos 2 recepções confortáveis (piso inferior e superior), consultórios médicos, área de pequenos procedimentos, serviço de coleta de exames laboratoriais, serviço de ultrassonografia e área de apoio e administração.
Além disso, todo o piso inferior é dedicado ao serviço de terapia antineoplásica, onde são realizados todos os tratamentos que envolvem aplicação de medicamentos (como quimioterapia, terapia dirigida, imunoterapia).
Essa área conta com recepção própria, apartamentos com camas e banheiros privativos, poltronas, e uma estrutura acessível e completa para atender todas as necessidades do paciente oncológico.
Responsável técnico pela clínica o Dr. Cleberson Queiroz (CRM/MT 4431/RQE: 1817)

Liked Liked