Aluna de escola em Nova Veneza escreve e declama poema sobre a rifa da fazendinha; VÍDEO

Estudante de 7 anos queria fazer referência aos animais dados na premiação. ‘Escrever é muito bom, ajuda a gente a aprender’, diz menina. Aluna Djúlia Kestering Schmitz faz poema sobre a rifa da fazendinha. Vídeo: Jussara Laíde Savio/Arquivo pessoal
A aluna Djúlia Kestering Schmitz, de 7 anos, que estuda na Escola Básica Municipal Bairro Bortolotto, em Nova Veneza, no Sul de Santa Catarina, escreveu e declamou uma poema sobre a rifa da fazendinha, feita para arrecadar dinheiro para a comemoração de Dia das Crianças na unidade escolar. A menina contou que, no texto, queria fazer referência aos animais dados na premiação.
Os prêmios, como porcos, patos, salame e queijo, foram doados pelos pais dos alunos. A rifa viralizou após a leitura dos prêmios em uma sessão na Câmara de Vereadores (veja vídeo abaixo da sessão).
“O porquinho grunhiu para o pato, que contou para a angolista, que comentou com a galinha e cacarejou para o galo”, declama Djúlia, que disse que sempre gostou de escrever.
Prêmios de rifa fazem vereadores caírem na gargalhada durante sessão em Nova Veneza
LEIA TAMBÉM:
Premiação de rifa faz vereadores caírem na gargalhada durante sessão
Conheça os vencedores da rifa da fazendinha
Alunos e funcionários da escola celebram Dia das Crianças em pizzaria
A estudante conta que tudo começou em um dia em que ela estava triste e a diretora da escola, Jussara Laíde Savio, conversou com ela. Nesse período, a rifa já havia viralizado.
“A tia Ju [diretora] me levou para um banco [na escola] e começou a falar comigo. Me ajudou bastante. Disse pra eu fazer um poema. Foi aí que surgiu a ideia do poema da fazendinha”, disse Djúlia.
Aluna Djúlia Kestering Schmitz em meio a bichos de pelúcia
Jussara Laíde Savio/Arquivo pessoal
A inspiração foram os bichinhos da fazenda. “Como era sobre a rifa da fazendinha, tive a ideia de colocar os animais. Eu queria colocar o som deles”, declarou.
“Escrever é muito bom, ajuda a gente a aprender. Escrevendo a gente viaja, a gente imagina coisas. Lendo e escrevendo”, disse a aluna.
Escola fez cartazes para simbolizar prêmios no dia do sorteio, em 20 de setembro
Jussara Laíde Savio/Arquivo pessoal/Montagem
A mãe da menina, Patrícia Kestering, conta que ela começou a ler bem aos 5 anos. “Eu incentivo muito a leitura. Desde bebezinha, toda a noite tem leitura. Sem leitura, a gente não é ninguém”, disse.
Semana da criança
Alunos e funcionários da escola começaram na quarta-feira (6) as celebrações do Dia das Crianças. Nesse dia e na quinta, eles comemoraram a data em uma pizzaria na cidade vizinha de Forquilhinha.
Inicialmente, a ideia era que as turmas que vendessem mais bilhetes da rifa fossem almoçar no local. Porém, com o sucesso do sorteio, todos da unidade de ensino conseguiram participar.
Alunos e funcionários de escola da rifa da fazendinha na pizzaria
Escola Básica Municipal Bairro Bortolotto/Arquivo
Na sexta (8), foi servido cachorro-quente na escola. Na quinta (14) e sexta (15) da próxima semana, serão ofertados crepe e algodão-doce.
“Eu não sei explicar a felicidade dos alunos. Eu acho que tudo o que nós passamos de dias trabalhando ali na [rifa da] fazendinha… Tem alguns nomes de alunos que fazem por merecer. A felicidade deles de comer pizza… E eu ensinava-os, ‘pode levantar a mãozinha que eles vão vir servir na mesa. Vocês podem comer mais um pedacinho, pode comer à vontade'”, declarou a diretora da escola.
“Eu acho que valeu a pena tudo isso. De ver o sorriso e a felicidade deles. Eles passarem na secretaria [da escola] e todas as crianças passarem e dizerem ‘tia Ju, queria te dizer muito obrigado, muito obrigado, muito obrigado. A gente adorou, adorou, adorou’. Eu acho que isso é que valeu a pena”, disse Jussara.
Estudantes e profissionais da escola da rifa da fazendinha na pizzaria
Escola Básica Municipal Bairro Bortolotto/Divulgação
O dinheiro arrecadado com a rifa também será usado para melhorar o ensino na escola. Conforme a diretora, serão comprados televisores para as salas e outros materiais que possam ajudar os professores nas aulas.
Geralmente, o montante arrecadado com as rifas era usado para uma comemoração chamada de Rua de Lazer, em que a escola fechava a via em frente à unidade e alugava brinquedos, como cama elástica e castelo inflável, para as crianças. Este ano, isso não será possível por causa da pandemia da Covid-19.
“Mas, início do ano letivo de 2022, a gente já está deixando dinheirinho guardado para fazer a Rua do Lazer, como a gente costumava fazer”, afirma a diretora.
Prêmios
A rifa foi feita com prêmios doados pelos pais dos alunos e foi comprada por pessoas de outros estados e países. A cidade tem a economia baseada na agricultura e, por isso, na lista de prêmios estão porcos, ovos e até mesmo uma tilápia.
Cada número foi vendido por R$ 2 e as vendas terminaram no dia 14 de setembro. O sorteio foi feito por uma transmissão pelas redes sociais no perfil da escola no dia 20 de setembro.
Lista com os prêmios listados por vereadora em Nova Veneza
Câmara de Vereadores /Redes Sociais
VÍDEOS: mais assistidos do g1 SC nos últimos 7 dias
Veja mais notícias do estado no G1 SC

Liked Liked