Câmara aprova que batalhas de rap sejam consideradas patrimônios culturais e imateriais em Cabo Frio

Projeto segue para sanção do prefeito de Cabo Frio. Reconhecimento vem após ação da PM interromper evento no Manoel Corrêa. Câmara de Cabo Frio aprova Projeto de Lei que transforma as batalhas de rap como patrimônio imaterial e cultural na cidade
Divulgação Câmara de Cabo Frio
A Câmara Municipal de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, aprovou o Projeto de Lei 242/2022, na sessão ordinária desta terça-feira (10), que considera Patrimônio Cultural Imaterial do Município as manifestações culturais, cênicas, musicais, saberes e festivas relativas às Batalhas de Rap.
O Projeto de Lei, de autoria do vereador Davi Souza (PDT), ainda estabelece que o dia 12 de novembro entre para o Calendário Oficial de Eventos como o Dia Municipal do Hip Hop.
O Projeto de Lei, que segue agora para a sanção do prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, foi apresentado e aprovado pelo Legislativo depois de uma ação da PM interromper uma Batalha de Rap que ocorria no Manoel Corrêa com disparos de arma de fogo. A ação, registrada em vídeo que circulou nas redes sociais, causou pânico na comunidade.
Os agentes responsáveis foram afastados até que a apuração seja finalizada. Segundo a Polícia Militar, o processo está sendo finalizado e será levado para a Corregedoria Geral da Polícia Militar.
Durante a sessão na Câmara, pessoas ligadas ao movimento cultural comemoraram a aprovação.
“O rap, antes de mais nada, é uma manifestação da arte e da luta das classes sociais marginalizadas. Com rimas que enfatizam vivências pessoais, comumente – ou não – discriminadas, as batalhas se tornam mais do que um passatempo ou diversão. Se tornam uma arma de resistência social. Além da relevância na construção cultural de incontáveis pessoas, as batalhas de rap possuem o papel de movimentar a economia local das comunidades”, explicou o vereador Davi Souza (PDT).
“O presidente da Casa, o vereador Miguel Alencar (União) sugeriu que fosse feito um Requerimento de Urgência Especial nas Comissões de Constituição e Justiça, Políticas Públicas e de Redação Final, o que foi prontamente atendido por todos os vereadores”, divulgou a Câmara.
Nota de repúdio
Após o ocorrido no bairro Manoel Corrêa, a Câmara emitiu uma nota repudiando a ação de policiais militares, ressaltou o apoio a toda manifestação artística e se solidarizou aos participantes.

Liked Liked