Chuvas que alteraram qualidade de água em manguezal têm relação com morte de milhares de caranguejos, diz CPRH

Segundo agência de meio ambiente, análises laboratoriais apontam inundação de áreas de manguezal em Carne de Vaca, no Litoral Norte de Pernambuco. Isso reduziu salinidade e aumentou turbidez da água. Caranguejos apareceram mortos na praia de Carne de Vaca, em Goiana, no Litoral Norte de Pernambuco
Reprodução/TV Globo
Análises laboratoriais feitas pela Agência Pernambucana de Meio ambiente (CPRH) começam a desvendar as causas da morte de milhares de caranguejos na praia de Carne de Vaca, em Goiana, no Litoral Norte de Pernambuco. Segundo a CPRH, o caso tem tem relação com as fortes chuvas, que provocaram inundações em manguezais, reduzindo a salinidade e aumentando a turbidez da água.
No dia 7 de junho, pescadores e catadores de crustáceos denunciaram o problema na área da bacia do Rio Goiana. Eles afirmaram que milhares de caranguejos morreram após os temporais do fim de maio. No estado, as chuvas provocaram 130 mortes.
De acordo com a CPRH, as amostras da água foram coletadas após as chuvas de 31 de maio e 1º de junho.
Por meio de nota, a diretora de Fiscalização da agência, Silvana Valdevino, informou que a baixa salinidade e o aumento da turbidez encontradas nas amostras de água foram parâmetros que apresentaram alterações.
Essas mudanças, acrescentou, tiveram influência na fisiologia do animal. Isso pode ter provocado a morte dos caranguejos.
Além disso, informou Silvana, outras ocorrências foram registradas, no início deste ano, na Bahia e Sergipe. Na época, foram apontados altos índices de chuvas e baixa salinidade.
A diretora de Fiscalização da CPRH disse, no entanto, que ainda é necessário aguardar mais análises para fechar totalmente o diagnóstico da mortandade dos caranguejos.
Ela cita, por exemplo, os laudos provenientes da necropsia dos animais, coletados pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio).
Drama
Caranguejos aparecem mortos, em áreas de mangue, no Litoral Norte
A equipe da TV Globo esteve na área da Reserva Acaú/Goiana, criada pelo governo federal para tentar preservar o caranguejo-uçá (veja vídeo acima).
As imagens mostraram a água estava barrenta nos rios e muitos animais tinham aparecido mortos no manguezal. No início deste mês, os pecadores lamentavam o problema.
Presidente da Associação de Pescadores da região, Gerusa Alexandre disse que 1.500 pessoas dependem dessa atividade para viver.
VÍDEOS: mais vistos de Pernambuco nos últimos 7 dias

Liked Liked