Encontro reúne responsáveis por pilotos desenvolvidos por startups atuantes na Amazônia

Temas apresentados variam entre tecnologia para combate a incêndios, comercialização de produtos da floresta, turismo sustentável, acesso a água e logística reversa. Encontro reúne responsáveis por pilotos desenvolvidos por startups atuantes na Amazônia
Reprodução
Durante um encontro virtual na manhã desta quarta-feira (13), empreendedores do país se reuniram para apresentar os pilotos de startups atuantes na Amazônia no programa Aceleradora 100+ , um programa para impulsionar empresas que impactam positivamente o meio ambiente e a sociedade que une inovação e sustentabilidade.
O programa tem como foco principal: mudanças climáticas, embalagem circular, agricultura sustentável, gestão de água e ecossistema empreendedor.
Realizado por uma empresa brasileira de produção de bebidas junto ao “Parceiros pela Amazônia”, o encontro reuniu mais de 50 participantes entre empreendedores e jurados. Foram apresentados pilotos desenvolvidos por startups atuantes na Amazônia. A reunião iniciou as 8h55 e finalizou às 10h. Cada participante teve cerca de cinco minutos para apresentação.
A medida é para fortalecer ainda mais o ecossistema de impacto na Amazônia. Os pilotos apresentados contribuem para a conservação da sociobiodiversidade na região. Os negócios endereçam questões como tecnologia para combate a incêndios, comercialização de produtos da floresta, turismo sustentável, acesso a água e logística reversa.
A Aceleradora 100+ auxilia os organizadores na busca de soluções e aperfeiçoamento para alcançar as metas de sustentabilidade definidas para 2025 (Objetivos 2025):
Agricultura sustentável: – 100% dos produtores da empresa de bebidas serão qualificados, conectados e suportados financeiramente;
Gestão da água: – 100% das comunidades da empresa de bebidas em áreas de alto estresse hídrico com melhoria mensurável na qualidade e disponibilidade da água;
Embalagem circular: 100% dos produtos da empresa estarão em embalagens retornáveis ou feitas com conteúdo majoritariamente reciclado;
Mudança Climática: 100% de energia elétrica da empresa, comprada proveniente de fontes renováveis. Além disso, reduzir em 25% a emissão de carbono ao longo da cadeia de valor;
Ecossistema empreendedor: 100% de pequenos fornecedores capacitados para desenvolverem negócio;
Conservação da biodiversidade na Amazônia: negócios que estejam inseridos na região da Amazônia e/ou apresentem impacto direto e indireto à conservação da biodiversidade local.
Durante apresentação, o empreendedor Carlos Martins, apresentou o piloto de uma farinha de malte, produzida pela startup. Ele falou da principal fonte da receita do produto, além do piloto com investimento fixo inicial, gasto mensal, produção da farinha, preço de custo, preço de venda e retorno. Também foi apresentado um piloto com implementação, execução e análise do negócio.
Além dele, também participou Fernando Andrade, CEO da empresa Aterra ambiental, voltada para consultoria e tecnologia direcionadas para potencializar os benefícios econômicos dos processos de gestão e destinação de resíduos.
No piloto, ele explicou como devem favorecer o ecossistema empreendedor e alcançar 100% do aterro zero, além da rede de negócios sustentáveis. Para ele, o programa Aceleradora 100+ é um divisor de águas na jornada da Aterra Ambiental, de forma positiva.
Nas primeiras semanas foram realizados, no mínimo, quatro encontros em grupo e dois encontros individuais com até 20 negócios para prepará-los a apresentar uma proposta de piloto a ser realizado junto à empresa de bebidas e eventuais parceiros por ela convidados.
Os negócios foram apresentados com as propostas por meio dessa banca de seleção. Foram selecionados 15 negócios para implementarem os pilotos. Os negócios selecionados participaram, ao longo de até 20 semanas, de cerca de 3 encontros em grupo e 16 encontros individuais, que tiveram como foco a implementação do piloto e a preparação dos negócios para se apresentarem a investidores.
Seis participantes fizeram parte de uma demonstração para apresentação das soluções a investidores e especialistas de mercado.
Os participantes que tiverem maior aderência ao programa Aceleradora 100+ – sob os seguintes critérios: atendimento aos encontros individuais e em grupo, implementação do piloto e participação no demo day – poderão ser indicados a exclusivo critério da empresa de bebidas, para participação do programa global da Accelerator 100+ (Nova York (Estados Unidos)) na classe de 2022.
Os participantes, ao concluírem a inscrição no Programa Aceleradora 100+ , confirmam que concordam que tal indicação não garante a seleção do respectivo participante para participação no programa global.
Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas

Liked Liked