Início do inverno diminui meio grau na temperatura de Fortaleza em junho

A Funceme explicou que a estação não impacta nos termômetros do estado, mas influencia nas chuvas, sendo junho de 2022 é o mais chuvoso desde 2013. Meteorologista Meiry Sakamoto explica o impacto do início do inverno no Ceará.
O inverno chegou no hemisfério Sul, mas a estação mais fria do ano não impacta expressivamente os termômetros do Ceará, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Fortaleza, por exemplo, tem uma queda de meio grau nas temperaturas.
O início do inverno começou nesta terça-feira (21), às 6 horas e 13 minutos de hoje, a partir do evento astronômico conhecido como solstício de inverno. O evento marca o início da estação mais fria do ano na parte sul do planeta.
Fortaleza deve passar por uma queda de meio grau na temperatura durante inverno, diz Funceme.
JL Rosa/Sistema Verdes Mares
LEIA TAMBÉM:
Inverno começa nesta terça (21); veja o que esperar da estação em todo o Brasil
Previsão é de pouca chuva no Ceará até quinta-feira
“Aqui no Nordeste, aqui no Ceará, isso varia muito pouco. Temperatura máxima, por exemplo, em Fortaleza, no período mais quente ultrapassa os 31º. Agora em junho e julho, de acordo com a climatologia, caiu um pouquinho, meio grau. Por isso, a gente nem percebe tanto”, explicou a meteorologista Meiry Sakamoto.
“Aqui no Ceará, o inverno é nosso período de chuvas. Esse inverno que estou me referindo é o período que os dias são mais curtos, as noites mais longas e a temperatura mais baixa. Isso, é claro, é mais marcante para quem mora na região Sul e Sudeste do Brasil”, reforçou a meteorologista.
Junho de 2022 é o mais chuvoso em Fortaleza desde 2013.
Fabiane de Paula/SVM
Contudo, o período apresenta relação com as chuvas no estado. “O que a gente percebe mais é em relação às chuvas. Junho e julho são conhecidos como pós- estação chuvosa. Passado o período principal das chuvas continua chovendo alguma coisa, mas nem tanto”, comentou Sakamoto.
O cenário inclusive tornou junho de 2022 o mais chuvoso desde 2013. “A gente já começa a perceber nessa época do ano o aumento da velocidade dos ventos. O fortalezense e o cearense de um modo geral já sabem, começam os ventos, reduzem as chuvas e esses ventos vão adquirir o máximo de velocidade principalmente no mês de agosto”, destacou a meteorologista da Funceme.
Assista às notícias do Ceará no g1 em 1 Minuto

Liked Liked