Júri condena homem a 10 anos de prisão por esfaquear ex-esposa por 18 vezes em Caraguá

Segundo denúncia do MP, a tentativa de homicídio teve motivo fútil e ele agiu mediante emboscada, usando o filho do casal para atrair a vítima até o local. Um homem foi condenado em um júri popular a 10 anos e 5 meses de prisão por tentar matar a ex-companheira com 18 facadas. O crime ocorreu em janeiro de 2020 no bairro Perequê Mirim, em Caraguatatuba (SP).
A decisão é de terça-feira (2). Segundo denúncia do Ministério Público, a tentativa de homicídio teve motivo fútil e ele agiu mediante emboscada, usando o filho do casal para atrair a vítima até o local. Além disso, Gerson Andrade dos Santos era impedido legalmente de se aproximar dela devido a uma medida protetiva.
Os dois tiveram uma união por 11 anos e quando o crime ocorreu, eles estavam separados há 4 meses. Para atrair a vítima, ele fez com que o filho do casal gravasse mensagens de áudio para a mãe.
Ao chegar no local junto com o filho mais novo e a filha mais velha, eles começaram a discutir, ela mostrou a pedida protetiva para que ele recuasse e ele passou a dar golpes nela com a faca. Ela chegou a correr para pedir ajuda após o primeiro golpe, mas caiu na rua e foi golpeada as demais vezes.
Segundo uma testemunha, o homem chegou a dizer que nem ele, nem o atual namorada da vítima ficariam com ela. A mulher foi socorrida e sobreviveu. Apesar disso, ela teve um pulmão perfurado e o movimento de um braço permanentemente reduzido.
Ao ser preso, ele chegou a dizer na delegacia que agiu em legítima defesa, mas a versão dele não era compatível com o fato ele foi preso. A defesa dele informou durante o júri que vai recorrer.
Veja mais notícias do Vale do Paraíba e região bragantina

Liked Liked