Prefeitura de Uru alega censo do IBGE desatualizado e solicita mais vacinas contra a Covid-19

Administração municipal suspendeu a aplicação da primeira dose desde a última sexta-feira (10) devido à falta de imunizantes. Estado alega que já mandou doses suficientes para a cidade. Prefeitura de Uru alega que censo do IBGE está desatualizado e solicita mais vacinas contra a Covid-19 ao Estado
Reprodução/TV TEM
A aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 foi paralisada em Uru (SP) desde a última sexta-feira (10) devido à falta de doses do imunizante.
Segundo a prefeitura, o último público que estava sendo vacinado com primeira dose são os adolescentes com 13 anos. A cidade também não conseguiu finalizar a imunização dos adolescentes de 12 anos e dos jovens de 18 anos.
Ainda segundo a prefeitura, as doses enviadas pelo estado foram insuficientes. Isso porque, a população do município está subestimada em relação aos dados do IBGE, que teve o último censo feito em 2010.
De acordo com os dados do censo, há 1.211 habitantes em Uru, mas no cadastro local de moradores, atualizado pelos agentes comunitários consta que há 1.470 habitantes.
O estado identifica que o município já recebeu o quantitativo total, mas já foi informado pela administração da cidade que há pessoas que ainda não puderam receber a vacina.
Em nota enviada à TV TEM, a Secretaria do Estado de Saúde disse que Uru recebeu em toda campanha mais de 1,9 mil doses de vacinas contra a doença, incluindo mais de 70 doses enviadas desde a semana passada para aplicação nos públicos vigentes.
A secretaria destacou ainda que os balanços de imunização por município estão disponíveis para consulta pública no Vacina Já e que atua com agilidade na logística e distribuição aos 645 municípios, incluindo os da região de Bauru, conforme recebe novas remessas de vacinas do Governo Federal.
Além disso, a secretaria esclareceu que “toda distribuição de doses é feita com base em estimativas populacionais do IBGE 2020 e que o Estado envia doses suficientes em quantidade idêntica para aplicação de primeira e segunda dose nos públicos-alvos e em tempo oportuno para a vacinação, de acordo com o cronograma estabelecido no PEI, e conforme recebe novas remessas do Ministério da Saúde”.
O estado ressaltou que “os imunizantes da Oxford/ AstraZeneca estão com abastecimento prejudicado em diversos locais do país e, por isso, São Paulo iniciou a partir desta segunda-feira (13) a intercambialidade com Pfizer para concluir o esquema vacinal de pessoas que tomaram a primeira dose de Astrazeneca”.
E, por fim, ressaltou que “é dever dos municípios organizar a demanda local e programar eventuais calendários próprios considerando este cronograma estadual, que baliza a distribuição e logística das doses para todas as 645 cidades de SP”.
Após a resposta da secretaria estadual de saúde, a prefeitura de Uru se manifestou, em nota, dizendo novamente que os dados populacionais estão desatualizados e que não houve antecipação de doses ou uso em grupos não prioritários.
A prefeitura disse ainda que precisa apenas que sejam enviadas 20 doses para que a aplicação da primeira seja finalizada no município. Destas, 10 doses são para os adolescentes de 12 anos e as demais são para a aplicação em maiores de 18 anos.
Visto que Uru é um município pequeno com uma única unidade de saúde e a vacinação foi realizada por meio de busca ativa que identifica as pessoas individualmente.
Segundo a administração municipal, a prefeitura pediu apoio ao Conselho das Secretarias Municipais de Saúde para receber as doses faltantes e aguarda que o Estado se sensibilize com a situação.
VÍDEOS: assista às reportagens da região
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.

Liked Liked