Saúde registra novo caso suspeito de varíola dos macacos em Limeira e descarta outro após apuração

Novo paciente é uma pessoa do sexo masculino, que está bem, em isolamento domiciliar, e sendo monitorada pela Secretaria de Saúde. Teste positivo de varíola dos macacos
Reprodução/EPTV
A Secretaria de Saúde de Limeira (SP) descartou nesta quinta-feira (4) um caso suspeito de varíola dos macacos (Monkeypox), após receber resultado negativo para exame enviado na semana passada para apuração. A cidade também teve um novo caso suspeito da doença notificado nesta quinta.
O novo paciente é uma pessoa do sexo masculino, que está bem, em isolamento domiciliar e sendo monitorada pela pasta. O exame, coletado nesta quinta, foi encaminhado ao Instituto Adolfo Lutz e deve ficar pronto em até dez dias.
“A pasta reforça que mantém o alerta ao surgimento de novos casos e que tanto a rede pública quanto a privada seguem orientadas e preparadas para atender eventuais casos no município. Nesse sentido, atendendo às novas recomendações do Estado, a Secretaria de Saúde informa que as gestantes e lactantes com suspeita de varíola dos macacos devem ter acompanhamento médico especial”, acrescenta.
A pasta informou, ainda, que se houver a ocorrência de novos casos suspeitos da doença, a situação será atualizada sempre às sextas-feiras.
Dois casos confirmados na região
A região de Piracicaba (SP) já tem dois casos confirmados da varíola dos macacos. O último foi confirmado em Piracicaba, no último domingo (31). O paciente é um homem de 38 anos, sem histórico de viagem ao exterior, segundo a prefeitura.
No dia 15 de julho, o governo estadual já tinha confirmado um caso em Santa Bárbara d’Oeste (SP), em um homem de 30 anos, também sem histórico de viagem ao exterior.
Além disso, há um caso suspeito e em investigação em Piracicaba.
Orientações
A Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo explica que o vírus da Monkeypox faz parte da mesma família da varíola e salienta que o atual surto não tem a participação de macacos na transmissão para seres humanos. A transmissão ocorre entre pessoas e o atual surto tem prevalência de transmissão de contato íntimo e sexual.
A Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo orienta sobre a prevenção contra a Monkeypox (MPX). Veja abaixo:
Evitar contato íntimo ou sexual com pessoas que tenham lesões na pele
Evitar beijar, abraçar ou fazer sexo com alguém com a doença
Higienização das mãos com água e sabão e uso de álcool gel
Não compartilhar roupas de cama, toalhas, talheres, copos, objetos pessoais ou brinquedos sexuais
Uso de máscaras, protegendo contra gotículas e saliva, entre casos confirmados e contactantes
Sintomas da Monkeypox (MPX)
O principal sintoma é o aparecimento de lesões parecidas com espinhas ou bolhas que podem surgir no rosto, dentro da boca ou em outras partes do corpo, como mãos, pés, peito, genitais ou ânus
Caroço no pescoço, axila e virilhas
Febre
Dor de cabeça
Calafrios
Cansaço
Dores musculares
VÍDEOS: Tudo sobre Piracicaba e região
Veja mais notícias no g1 Piracicaba

Liked Liked