Santos realocará profissionais para reduzir demanda nos serviços de Saúde

Medida, com o objetivo de diminuir as filas e melhorar o diagnóstico precoce de doenças, foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (23). Prefeitura de Santos afirmou que realizou mapeamento, e que realocações serão realizadas gradativamente
Divulgação/Prefeitura de Santos
Com o objetivo de agilizar a assistência aos munícipes, reduzir filas e melhorar o diagnóstico precoce de doenças, a Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, publicou uma ordem de serviço determinando que os departamentos e coordenadorias atuem em conjunto para otimizar o quadro de recursos humanos. A retificação consta no Diário Oficial de terça-feira (23).
Com a medida, serão realocados profissionais que atuam em áreas administrativas e de fiscalização às unidades assistenciais, como policlínicas e unidades especializadas. Um mapeamento foi realizado, e as realocações serão realizadas gradativamente, de forma a não prejudicar os serviços onde estes profissionais encontram-se atualmente.
A ordem de serviço nº 07/2021 revoga a nº 04/2021, que previa a redução de pessoas dentro das unidades de Saúde e a não realização de atividades coletivas. Ao g1, a administração municipal informou que a revogação foi possível devido o alto índice de vacinação, diminuição de casos e óbitos por Covid-19 e a manutenção das medidas de prevenção, como uso obrigatório de máscara.
Déficit de profissionais
Segundo a Lei Federal 173/2020, a realocação é necessária uma vez que os municípios e estados estão impedidos de chamar novos profissionais para compor os quadros, exceto em caso de falecimento, exoneração e aposentadorias ocorridas em 2020 e 2021.
Em Santos, a lei gerou um déficit de 10% no total de profissionais nos últimos dois anos, o que contribuiu para o aumento da demanda reprimida, além da interrupção necessária dos atendimentos eletivos durante os períodos mais graves da pandemia, segundo a prefeitura.
Em 2021, os atendimentos de consultas e exames foram suspensos em março e retornaram em junho. Já as cirurgias, retornaram em julho. Casos oncológicos, urgências, pré-natal e acompanhamento de bebês foram mantidos.
A partir de 1º de janeiro de 2022, os municípios poderão promover concursos públicos e chamar os aprovados em processos seletivos vigentes. Está em andamento na Secretaria de Saúde a realização de um levantamento dos profissionais necessários para a reposição do quatro.
A prefeitura ainda afirma que o objetivo é realizar o mais breve possível, em 2022, o chamamento dos profissionais aprovados em concurso, além de organizar os processos seletivos necessários.
Aumento da demanda
Segundo a administração, outros fatores também contribuíram para o aumento da demanda nos serviços de Saúde, entre eles:
Ampliação dos serviços oferecidos: atendimento às sequelas da Covid-19, atendimento aos pacientes crônicos de chikungunya, aumento dos casos de transtornos mentais devido à pandemia.
Migração dos planos de Saúde para o Sistema Único de Saúde (SUS) devido à crise econômica.
Aumento na procura dos serviços de Saúde com a flexibilização e munícipes vacinados.
Questionada pelo g1, a prefeitura não respondeu sobre a quantidade de atendimentos e consultas que ficaram e estão acumulados, mas informou que as consultas com maior demanda são nas especialidades de cardiologia, fisioterapia, cirurgia vascular, ortopedia e gastroenterologia. Quanto aos exames, a demanda inclui audiometria, colonoscopia, ecocardiograma, teste ergométrico e endoscopia.
A Secretaria de Saúde mantém o Programa Meta 30, por meio do qual exames e consultas especializadas devem ser realizadas em um período de até 30 dias após a solicitação do médico. Este programa também foi impactado pela pandemia em 2020 e 2021. Atualmente, 63,5% dos exames e consultas são atendidos dentro desse prazo.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Liked Liked