Veja como é feito o ‘delivery’ via drone em presídios

Quadrilhas de vários estados do Brasil vêm aperfeiçoando uma maneira muito inusitada de fazer entregas clandestinas nos presídios. Polícia usa armas para neutralizar as ações de criminosos. Veja como é feito o ‘delivery’ via drone em presídios
O Fantástico mostrou como criminosos têm conseguido levar para dentro dos presídios pacotes com drogas, celulares, e até perfumes e vinho. As quadrilhas de vários estados do Brasil vêm aperfeiçoando a maneira de fazer essas entregas clandestinas com a ajuda de drones.
Os bandidos usam dois métodos. Em um deles, os pacotes ficam amarrados ao drone por um longo barbante. Os presos, então, puxam para dentro das celas. Isso exige que o operador faça o drone voar de lado.
São Paulo passa a utilizar arma antidrone para impedir entregas aéreas em presídios
Dois drones foram abatidos quando estavam sobrevoando a Penitenciária Central do Estado
Em outro método, os pacotes não estão amarrados. Pelo controle remoto, os bandidos acionam e o pacote cai no local em que eles planejam, dentro dos presídios.
As imagens exclusivas foram obtidas pelo Fantástico e mostram como os criminosos usam os equipamentos durante as ações.
Os drones saem das fábricas programados para não ultrapassar limites de altitude, por exemplo. Os aparelhos comprados pelas quadrilhas são desprogramados em oficinas clandestinas. Mas, a polícia usa armas para neutralizar as ações de criminosos.
“Esses locais foram identificados e existem diversas formas de organizar e ajustar esse equipamento para que ele possa ter a serventia específica para o crime”, diz o delegado Mário Souza.
O delegado tem se dedicado para desarticular as quadrilhas por trás do esquema. “Em mais de um ano, nós tivemos oito pessoas presas”, diz.
🎧 Ouça os podcasts do Fantástico:

Liked Liked