Polícia prende 3 PMs suspeitos de integrar milícia de São João de Meriti, na Baixada Fluminense

Mesmo preso, o chefe da milícia, o PM Nilson Miranda de Carvalho Neto, controlava o grupo e recebia dinheiro das extorsões, segundo a polícia. Foram expedidos 13 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão. Preso em operação da Polícia Civil para desarticular milícia que atua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense
Divulgação/Polícia Civil
Agentes da Delegacia de Homicídios da Capital fizeram uma operação, na manhã desta quarta-feira (15), para desarticular uma milícia que atua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Três policiais militares foram presos.
A 1ª Vara Especializada da Capital expediu 13 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão.
De acordo com a investigação, a milícia conhecida como “Comunidade amiga” ou “Carlinho Azevedo” atua nas localidades da Malvina, Venda Velha, Parque José Bonifácio e Pau Branco, em São João de Meriti.
A investigação teve início a partir de inquéritos que apuravam homicídios ligados à quadrilha formada por quatro policiais militares e ex-PMs.
Os investigadores identificaram que o grupo atuava explorando sinal de TV clandestino, venda de gás, de água, além de práticas de agiotagem, extorsão a comerciantes com a cobrança de taxas de segurança e controle sobre pontos de mototáxi, mediante ameaças e violência.
Segundo os policiais, o PM Nilson Miranda de Carvalho Neto, conhecido como Samurai ou Ninja, apontado como chefe do grupo, mesmo preso, exercia o controle e recebia valores provenientes das extorsões do grupo.
Além de Nilson Carvalho Neto, foram denunciados:
Thiago Gutemberg de Almeida Gomes, conhecido como Curisco;
Wesley Silva de Almeida, o Nanaiga ou Chanaiga;
Paulo Vitor Viana Firmino, o PV;
Bruno Barbosa de Abreu, o Bruno do Pau Branco;
Leandro da Silva Arante, o Neguinho Menor;
Carlos Henrique Silveira dos Santos, o Nego do Gás;
Cristiano Militão de Souza, o Cabelinho;
Douglas Alves da Silva, o Cupim;
Alan dos Santos Farias, o Paraíba;
Alex Bonfim de Lima Silva, o Alex Armeiro;
Wallace Patrique Cardozo Lucas;
Marcos Antônio Roque de Lima, oTonho da Água.
A operação foi realizada por agentes da Delegacia de Homicídios da Capital, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/RJ), do Ministério Público, e com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ).

Liked Liked